quarta-feira, fevereiro 14, 2007

CARIOCAS LOTAM CANDELÁRIA PARA MISSA POR JOÃO HÉLIO

Cerca de 600 pessoas, entre famílias de vítimas da violência e cariocas indignados com o assassinato do menino João Hélio Fernandes, de seis anos, que completa uma semana hoje, lotam a Igreja da Candelária, no centro do Rio, onde será realizada uma missa em sua memória.

Os pais de João Hélio, que foi arrastado por ladrões preso a um carro pelo cinto de segurança, estão na igreja. Ao entrar, os dois, acompanhados da filha Aline, de 14 anos, foram aplaudidos pelos participantes. A mãe do menino, Rosa Fernandes, disse ao chegar que quem tem que "perdoar os assassinos é Deus".

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e a mulher dele, Adriana Ancelmo, foram recebidos pela multidão com gritos de "Justiça". Ele cumprimentou os pais de João Hélio. Além de gritarem por justiça, os participantes da missa entoaram: "O povo unido, jamais será vencido". Também pediram "mudança", fazendo alusão à redução da maioridade penal no Brasil.

Jovita Belfort, cuja filha Priscila desapareceu há três anos (ela teria sido morta por traficantes), disse: "Quando não estou em depressão, participo de todas as manifestações, faço parte de uma família da dor". A estudante Tatiana Taveira, de 20 anos, que participa de uma comunidade no Orkut intitulada "Justiça a João Hélio", contou que, apesar de não ser parente ou amiga de qualquer vítima, acha importante prestar solidariedade e "lutar para que isso não aconteça mais".

  • FONTE: G1

Um comentário:

Magaleando disse...

Tanto quanto qualquer cidadão brasileiro, fui profundamente afetada pela tragédia do garoto de 6 anos, mas sinto-me frustrada como somente tal barbárie possa ter comovido a população, levantando um debate importantíssimo e necessário a tanto tempo. Somente no RN, foram calculados mais de 500 homicídios envolvendo jovens, em sua maioria homens, entre 14 e 24 anos de idade, do ano passado até Janeiro deste ano. A natureza desses homicídios: envolvimentos com drogas, tráfico, roubos, e torcidas de futebol. è coisa séria! e é Coisa daqui! que ninguém debate...tem que acontecer algo super explorado na mídia, no grande pólo do Brasil, para algumas pessoas posarem de cidadãos aqui. Eu sinceramente não gostaria de comentar sobre a morte de Hélio, porque acho que estão usando de forma errônea a imagem desse menino, e porque vejo coisas, diariamente, no jornal local, de mesma natureza ou pior, que não recebem a menor atenção. Trabalho com o monitoramento desse tipo de notícia. Exatamente focando criança e adolescência. Não, não sou a favor da redução da maioridade penal. Que se reestruturem os Ceducs, e os tornem centros realmente capazes de refazer a vida de um adolescente que comete crimes, e o capacite de forma humana TAMBÉM! coloca-los juntos aos ladrões PHD nos presídios comuns só vai aumentar o problema. e por falar nisso... não são os presídios que estão soltando bandidos devido à superlotação?
precisamos de projetos reeducativos! com acompanhamento psicológico e vigor no processo de reingresso desses jovens e dos adultos também, na sociedade. Prender e tratar feito cão, não resolve.